sexta-feira, 19 de agosto de 2011

A Juventude de Bento XVI


A “juventude tranquila” de Bento XVI


Caloroso dia de espera para os participantes da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em Madri, que invadiram as ruas para participar das diferentes atividades culturais previstas, entre cinema, música clássica e atual, exposições de arte, entre outras.
São rios intermináveis de jovens vestidos com alegres camisetas coloridas, bonés e bandeiras, que cantam a todo pulmão ou se cumprimentam com um “hola” pronunciado com os mais diversos sotaques. Uma juventude alegre e tranquila percorre a cidade: bandeiras da Malásia, Brasil, Colômbia, Austrália, França, Itália, Estados Unidos, e sobretudo o vermelho da Espanha e da JMJ, cobrem as ruas e estabelecimentos.
Após assistir às diversas catequeses por idiomas, realizadas durante a manhã em várias igrejas e centros pastorais de Madri, a maior parte dos jovens acudiu massivamente ao parque madrileno do Retiro para participar da Festa do Perdão.
De hoje até o próximo sábado, mais de 200 confessionários, preparados ad hoc em um recinto afastado do parque, acolhem um interminável rio de jovens que buscam a confissão com sacerdotes de diversos idiomas.
E não são somente os jovens: não é raro encontrar pessoas idosas, famílias, entre outros, que vão atraídas pela alegria que se respira nas ruas há dois dias. Algumas senhoras anciãs param para conversar com os jovens, perguntam-lhes de onde vêm. Uma idosa paralítica se uniu a um grupo vietnamita procedente dos EUA, na paróquia de San Francisco el Grande: “Não entendo o que eles estão falando, mas é maravilhoso vê-los”, comentou.
Vários lugares atraem os jovens: as fontes, o lago e a sombra dar árvores do Retiro, em uma tentativa de combater o intenso calor. Outro dos lugares que os atrai é a barraca de adoração eucarística, aberta desde a terça-feira, dia e noite, enquanto durar a JMJ.
Há também um interminável ir e vir de jovens nos stands da Feira Vocacional, onde param para conversar com religiosos e missionários das diversas congregações presentes. “Muitos chegam ao nosso stand pedindo para anotar-se como voluntários para as missões de verão”, informam as Pontifícias Obras Missionárias.
Hoje também começaram os diversos atos do programa cultural, concebido como meio de difusão da cultura cristã em suas diversas expressões: além das visitas guiadas ao Museu do Prado e outros museus de arte, várias igrejas habilitaram mostras históricas sobre as importantes famílias religiosas da Igreja.
Foi organizada também uma exposição sobre a Sagrada Família de Gaudí, a mostra de arte contemporânea preparada pela Fundação Pons, e outra sobre a Teologia do Corpo de João Paulo II; uma sobre os cristãos perseguidos e outra sobre os missionários jovens que a Espanha tem distribuídos pelo mundo inteiro.
Por outro lado, em Fuencarral, a “avenida do cinema” de Madri, estrearam hoje vários filmes de conteúdo cristão, como “The Human experience”, “A Madre Teresa” e “There be dragons”. É uma experiência exitosa, pois as salas ficaram lotadas.
Poucos incidentes
No centro da cidade, uma marcha de protesto contra o Papa, da qual participaram cerca de 2 mil pessoas, protagonizou certos momentos de tensão ao cruzar-se com os jovens peregrinos. Em alguns casos, a polícia teve de intervir, cortando o acesso à Puerta del Sol.
Outro detido é um jovem de nacionalidade mexicana, voluntário, que supostamente planejava atentar contra essa mesma marcha de protesto.
No entanto, a maior parte das intervenções das forças de segurança foram para orientar e controlar o fluxo dos peregrinos em meio ao tráfego urbano, assim como de vigilância ao acesso de edifícios, para evitar aglomerações.
Em declarações à imprensa espanhola, o responsável pelo dispositivo policial presente na cidade qualificou o dia de hoje como “tranquilo” e “sem incidentes”.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.