segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Não é fácil responder à pergunta: "Que quereis?"

Quem pode dizer que se conhece a si mesmo?
Somos frequentemente uns desconhecidos para nós mesmos. Definimos-nos sempre a partir de comparações com os demais. Mas a resposta mais óbvia é frequentemente dizer, como João: "não sou eu", "não".
João descobre a sua identidade a partir do texto de Isaías. E nós quando descobrimos a nossa identidade? Será que isto acontece quando Deus nos fala? Será que escutamos a Sua Palavra de exortação, de conselho e de fortaleza?

O que valemos aos olhos do Criador? A Ele nada escapa e é com Ele que temos de nos tornar nas mensageiras do nosso tempo. A nós compete preparar de novo os caminhos do Senhor. Porque não, dizer que somos os novos percursores, capazes de proclamar bem alto a mensagem de paz transmitida no Evangelho?

Actuar com a força do Espírito. Com serenidade perguntar-me quem sou eu? Depois, no silêncio interior, aquele que nos conduz até ao seio do Pai, respondermos: eu sou uma ungida do Senhor, o Espírito de Deus actua em mim e colabora comigo. Tudo na minha vida é útil e faz sentido com a presença do Espírito.

"Eu baptizo-vos com água, mas entre vós há alguém que não conheceis: a esse, eu não sou digno de desatar as correias das sandálias..."

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.