domingo, 18 de agosto de 2013

XX DOMINGO DO TEMPO COMUM

Eu vim trazer o fogo à Terra
Como podemos entender uma realidade tão dura? Afinal não é Jesus o Príncipe da Paz?
A decisão do seguimento de Jesus é radical e exige disposição interior para doar a vida. Jesus não é um Mestre que veio trazer açúcar para adoçar falsamente as durezas da vida. Jesus Mestre e Messias é um Homem de decisões fortes que implicam renúncias difíceis.
Ele elege o caminho da Cruz e convida-nos a segui-Lo tomando com Ele a Cruz, renegando-nos a nós mesmos... Ele é o único bem possível da nossa vida. É natural que nos fale de fogo, de espada e de divisão, uma chamada a estarmos alerta contra a corrente dos contravalores do mundo de hoje.
Ele chama-nos a uma liberdade suprema capaz de ser realizada pela e na Fé. Jesus não admite meias medidas se não o elegemos pomo-lo de parte e isso não vai facilitar em nada a nossa felicidade e a fidelidade incondicional ao Seu amor. A nossa eleição é de Fé, de relação próxima, consciente e responsável sempre disposta para o serviço para viver de acordo com o Seu exemplo e com a Sua postura de vida: servir e dar a vida.

Senhor, socorrei-me sem demora
“Jeremias atolou-se no lodo”. Na nossa história pessoal e social também há poços repletos de lodo, há perseguições, há angústias, escravidões e dependências. A Palavra do Senhor tem de ser água Viva a purificar a nossa vida da lama em que tantas vezes nos atolamos, nas fraquezas e no esmorecimento vital do nosso ser.

Agita-nos Senhor

Não estamos sós, bem sabemos que caminhas connosco, queres a nossa liberdade e a nossa vida por inteiro. Confrontas-nos com a verdade total e não a meias medidas. Nas encruzilhadas da vida sentimos tantas vezes temor e caímos na lama sem darmos conta. Perturba-nos Senhor, agita-nos para que não vivamos passivamente o Evangelho. Motiva-nos a sair anunciando criativamente e com esperança a Tua Palavra.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.