domingo, 1 de abril de 2012

Senhor da Unção...

SENHOR DA UNÇÃO

Eram poucos os dias que faltavam para festa da Páscoa. Estavas na Tua querida Betânia, onde moram alguns dos teus melhores amigos. Sentado à mesa, és surpreendido por uma mulher com um frasco de perfume de nardo puro... 

Rompe o frasco e derrama sobre a Tua cabeça esse unguento que deixa espantados todos os convidados. Tu, respondes que não fiquem indignados, que ela antecipou a unção do Teu corpo para a sepultura...
Rompe os frascos do meu egoísmo que não deixam exalar o perfume do Teu amor, nem me deixam oferecer-Te a a riqueza dos gestos de gratuidade para contigo.
Está preparado o complot à Tua volta, eu também estou no grupo dos que daqui a pouco depois da Tua aclamação, Te vou entregar.
Mas o gesto dessa mulher desconcerta-me inquieta-me. Faz-me questionar interiormente, sabendo os motivos da minha mesquinhez, da ingratidão em reconhecer o Teu amor.
O amor é gratuito, é simplesmente o que é!

A mulher, ao dar o seu perfume mais precioso, sai da sala com um coração renovado, capaz de acolher  o dom da vida. Saiu com um coração grande, justo, verdadeiro, capaz de servir sem esperar recompensa. Maravilhoso! Ela saiu dessa sala, uma criatura nova.
Chamo-lhe Madalena, um modelo a seguir. O amor a Cristo leva-a a ofertar-lhe o mais nobre e rico presente. Ela perdeu -Te pelo pecado, mas voltou a encontrar-Te e nesse encontro Ungiu a Tua cabeça e os Teus pés...
Aceita o meu unguento para que posa encontrar-me contigo e renovar a minha vida , desapegando-me do pecado. Deixa-me respirar o odor da santidade que me propões viver... Deixa-me ajoelhar diante de Ti e no reconhecimento do meu nada, possa transformar-me num ser novo, perdoado e amado por Ti.
O meu coração precisa de rasgar-se em amor, mas há fechos e correntes mais fortes que a minha pobre humanidade e me encarceram até à morte... Não me deixam ver a Tua luz, não me deixam respirar o perfume do Teu amor.
Que gestos tenho de priorizar na minha vida? São tantos que nem sei por onde começar....
Mas vou juntar-me à multidão dos que Te aclamam, como o Rei.. Dos que depois Te entregam... Dos que decidem a Tua morte...

Como são banais os meus pensamentos! Não percebo mesmo nada! A Tua entrega é por amor, por fidelidade incondicional à Vontade do Pai e ao projeto que Ele traçou para Ti, o Seu Filho bem Amado.
A Tua vida é símbolo de uma aliança de amor , selada com o sangue do Cordeiro sem mancha, que no silêncio é levado ao matadouro... Sem palavras... Sem justificações... 
A Tua vida entregue é para mim sinal de Esperança eterna, é sinal de uma liberdade sem correntes, porque o amor ultrapassa tudo e todas as barreiras... O amor deposita a Sua vida por mim na Cruz...
É verdade! Tu realmente és o Filho de Deus, és Aquele que és, és a Verdade suprema, és o gérmen da Vida, és a Luz que brilha nas trevas da minha escuridão....
Quando a tentação bater à minha porta e assaltar os meus pensamentos, não esqueças de me mostrar a Cruz, como sinal de Esperança, de Fé e de amor....

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.