quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Senhor da Comunhão...

Senhor da comunhão

O percurso da vida traz-me o desgaste que condiciona o meu percurso de vivência da esperança. O primado da Tua Palavra é a base da missão que me confias. A Tua Palavra é o elo de união que marca cada passo da minha vida.
O alimento da Tua Palavra robustece a minha fé. Cada gesto de amor e de escuta, faz-me viver a alegria da comunhão que posso viver no amor com todos quantos me dás. Permanecer firme na Tua Palavra, ser discípula atenta dos Teus ensinamentos, liberta-me, faz-me voar como a ave livre e liberta de medos e temores.
A Tua Palavra faz brotar rebentos novos para serem contemplados sempre na linha do dom precioso do Teu amor que fala, que comunica a superabundância da Tua imensa graça. A primazia da Tua Palavra cria laços, impulsiona para a acção, traduz-se em mil centelhas de luz que resplandecem nas trevas e fazem brilhar a luz intensa do Teu amor e predilecção por cada criatura que criaste para viver em comunhão de sentimentos, de partilha, de afectos e de doação.
Procurar-Te no texto sagrado é a chave que pode abrir a mente e o coração. A Tua Palavra é tesouro inigualável, é encontro, é experiência viva e vivida no amor. Procurar-Te, é aprender a Tua sabedoria, é viver com respeito o silêncio saboreado no encontro com o Verbo que se faz Palavra para fortalecer as debilidades que impedem o nosso corpo mortal de avançar com energia na construção de um mundo novo.
Na audição da Tua Palavra, reflecte-se o silêncio que ensina a eminente sabedoria do Verbo Encarnado. A pedagogia dos Teus ensinamentos faz-me descobrir a sensação deste silêncio que inebria e traz gozo e beleza a quem se deleita da oração e contemplação dos Teus ensinamentos.  Quero construi-la solidamente ao ritmo da Tua mente. A resposta à sede que fica em meu coração, dá-se na abertura às perguntas que me lanças em desafios constantes, em alargamento de valores e satisfação das aspirações próprias da alma que te procura sem cessar. Deixo que Te exponhas a mim quando celebro a liturgia que preparo em cada tempo de encontro fecundo contigo…

Há respigos de uma beleza divina incomparável! Na disposição interior da minha vida, celebro e contemplo cada Mistério da Tua Vida. No diálogo fecundo travado contigo, alargam-se os horizontes porque nada fica só entre nós, mas é partilha de vida e de amor com os irmãos que fazem comunhão comigo e partilham da mesma fé e gozam dos mesmos Mistérios da Tua vida que é Vida em nós. Há marcas indeléveis do amor esponsal vivido numa eternidade infinda, onde a aliança tem o nome de fidelidade, onde a melodia das núpcias é resgate de adesão ao Teu coração, é transformação de vida, é envolvimento da alma ao Mistério da Tua Palavra.
Quero rezar com a Tua Palavra, quero fazê-lo com gestos, com atitudes e a concretização que se insere na vida. Que o deslumbre da oração se reflicta nas obras, no discurso que deve ser sempre marcado pela simplicidade e humildade.
Que ore sem cessar, que me lembre de Ti em cada instante, que me revista sempre com a Tua graça. Que me deixe tocar, encantar, enamorar e ferir pela beleza do Teu amor feito entrega, feito palavra. Que viva em Ti e Tu vivas sempre em mim. A Tua Palavra é seiva que corre nas minhas veias e ele é a razão única do meu viver. Que o grito da alma que anseia e suspira por Ti, seja a súplica mais intima que me arrasta e atrai para Ti…
Ó Deus Trindade, Una e Santa, ó Deus da comunhão, Tu és fiel na minha história pessoal, quero manter firme a minha aliança para contigo. Quero abrir-Te a porta do meu ser, rezando-te a cada instante da vida:
Que importa se é tão longe para mim,
A praia onde tenho de chegar,
Se sobre mim levar constantemente
Poisada a clara luz do teu olhar?
… Eu sei que vai raiar a madrugada
 E nunca me deixarás abandonada…

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.