sábado, 13 de agosto de 2011

Deixai vir a mim as crianças...


Mt 19,13-15
Naquele momento, levaram crianças a Jesus, para que impusesse as mãos sobre elas e fizesse uma oração. Os discípulos, porém, as repreenderam. Jesus disse: "Deixai as crianças, e não as impeçais de virem a mim; porque a pessoas assim é que pertence o Reino dos Céus". E depois de impor as mãos sobre elas, ele partiu dali.
O Reino dos céus é dos simples
As multidões que acorriam a Jesus levavam, comumente, adultos enfermos, paralíticos, cegos, surdos-mudos e possuídos por espíritos impuros. Eram as numerosas vítimas da exclusão do sistema dominador. Este era, também, o futuro a ser esperado para as crianças. Agora, ao cortejo dos que são levados a Jesus, incluem-se estas crianças. As crianças são, também, integrantes do universo social dos fracos e marginalizados, formado pelos impuros, pecadores, pobres, gentios. Ainda mais, dentro da família a criança é, com frequência, vítima indefesa da dominação possessiva e da violência inconsciente dos pais que, por sua vez, carregam a carga de um mundo de conflitos. A imposição das mãos de Jesus, acompanhada da oração, era uma esperança de que a elas fosse reservado um futuro melhor. "A pessoas assim, como as crianças, é que pertence o Reino dos Céus".
A observação de Jesus tem um duplo aspecto, o da inversão da ordem social e o da conversão interior dos discípulos. A nova ordem social a ser implantada com o Reino, não é a dos adultos conformados ou satisfeitos, empenhados na busca de sucesso, status e riqueza. Na nova ordem do Reino dos céus estão integradas as pessoas simples, confiantes no Pai, fraternas, comunicativas, acolhedoras e solidárias, em busca do novo, de um futuro promissor de um mundo melhor.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.